Devir (do latim devenire, chegar - 100x300cm) é um díptico inspirado nos sobreviventes do naufrágio mais letal da história do mar Mediterrâneo, ocorrido em 2015.

Impresso em chapas metálicas, numa  alusão ao  “vil metal”,  o trabalho dialoga com as questões do neocolonialismo e das grandes migrações do século XXI.